icon Nós somos o MUVe CrossFit.

Diferente de uma academia,

uma nova experiência em

condicionamento físico.

Você treina em um CrossFit McDonald’s?

Assisti recentemente ao filme “Fome de Poder” (The Founder, 2016), basicamente sobre a fundação e o crescimento do McDonald’s. Muito da história do filme me lembra a história do CrossFit. Primeiro ponto: o sistema da cozinha do McDonald’s causou uma revolução e mudou todo o sistema de atendimento e a forma como as pessoas se alimentavam em restaurantes e, principalmente, quem se alimentava nos restaurantes. O segundo ponto está relacionado à necessidade do crescimento da marca e a perda do romantismo ou da essência do que era o McDonald’s original.

Sou particularmente apaixonado pela teoria do treinamento: uma mistura de arte e ciência que nunca será exata. Quanto mais um professor conhecer a ciência, maior será a chance dele acertar a arte, porém isso muda de pessoa para pessoa, nunca seguindo um padrão lógico. É isso que me encanta no treinamento físico. Já citei diversas vezes a revolução que o CrossFit causou nesses sistemas de treinamento existentes e esse é um dos motivos que tornam o CrossFit é único.

Sobre a massificação do CrossFit e fuga dos princípios originais, tenho que relembrar que, quando me filiei ao CrossFit, em 2011, era necessário enviar um e-mail à CrossFit justificando o motivo pelo qual você gostaria de se filiar e anexar a recomendação de algum headcoach de outro box, assegurando que você entendia a essência do CrossFit. Isso movia a comunidade toda. Atualmente, porém, não é mais necessária essa indicação de alguém de dentro, basta você pagar as taxas de afiliação.

Eu, como saudosista que sou, sempre serei apegado a essa CrossFit raiz, na qual o que importava para as pessoas era o treino, o desafio diário, e não uma foto com roupas combinando junto com algum famoso do CrossFit - no Brasil, diga-se de passagem, os famosos não são os atletas nem os coaches e sim os blogueiros, logo, para fazer sucesso no CrossFit brasileiro, basta ser extremamente atuante nas redes sociais e ter um corpo próximo aos ideias clássicos.

Quando eu deixei de dar aulas de Spinning, eu não sabia justificar o porquê dessa minha decisão e muitas vezes eu dizia que precisava passar mais tempo no MUVe, precisava dar mais aulas (de fato, era verdade), mas então por que eu nunca mais voltei a dar aulas de Spinning?

A resposta está na minha cara. Como falei acima, eu gosto do treino. Ouvir e sentir que os alunos iam fazer uma aulinha ou dar um treininho me tirava do sério. Na essência do CrossFit, você nunca pode dar um treininho, pois ou você aprende ou você não consegue treinar. Vejo nos dias de hoje diversos boxes fazendo aulas mais light, com o objetivo de serem divertidas, com corridinhas, burpees e abdominais infinitos. Isso não é CrossFit.

Nos meus já quase sete anos de CrossFit, eu já tive o sonho de ter o maior box do mundo, cheguei a ter 3 boxes ao mesmo tempo (um deles com 350m² de área de treino), 36 alunos em cada aula, porém a qualidade despencou e nesse ponto havia duas coisas a serem feitas: a) continuar tentando ganhar muito dinheiro, porém sem a qualidade que eu desejava nas aulas; ou b) diminuir a quantidade de pessoas e voltar para essência do CrossFit.

Se a própria CrossFit se rendeu ao mercado e se tornou mais comercial, por que eu não faria o mesmo? Para quem é mais novato, o símbolo original do CrossFit era um palhaço chamado Pukie, segurado um balde cheio de vômito, incluindo os próprios rins – uma brincadeira politicamente incorreta sobre as acusações do CrossFit causar rabdomiólise.

Nos primórdios, eu ensinei muita coisa errada aos meus primeiros alunos, porém, com o tempo e a experiência, o nível de excelência melhorou vertiginosamente. Hoje usamos uma ideia sobre as posições, que facilitam muito nosso ensino dos movimentos, e é nessa hora que tenho outro momento de raiva com o CrossFit atual. Boxes lotados, que têm como objetivo único o lucro e não a qualidade, algo como o McDonald’s nos dias de hoje. É bom, mas nós sabemos que não presta e, mesmo assim, vez ou outra acabamos consumindo. No meu ponto de vista, é inadmissível um aluno pendurado na barra dar uma voadora para o alto, a fim de conseguir ultrapassar o queixo da linha da barra. Pior ainda é o coach incentivar isso. Faça um favor a você mesmo: troque de box, você não está aprendendo CrossFit.

Se você filma seu Arranco e não consegue ver as diferenças comparado a um Arranco profissional ou se, pior ainda, não te ensinam as diferenças entre fazer um Arranco e arrancar mandioca da terra, troque de box e volte lá no início do texto. Se você não quer aprender CrossFit e só quer dar só um treininho, não vá em um box afiliado, vá em algum tipo CrossFit. Você irá poupar uma grande quantidade de dinheiro e irá me ajudar, fazendo com que a qualidade do CrossFit aumente ainda mais.

Se você não tem a gana de melhorar seu condicionamento físico e um leve desconforto já lhe parece fatal, não treine CrossFit. Mais uma vez, se você não quer conhecer pessoas novas, só quer dar um treininho legal, não vá para o CrossFit. Assim, você me ajuda a manter a essência dos princípios do treinamento físico e não ser um animador sociocultural, vulgo palhaço, tão comum nas aulas coreografadas.

Fazendo uma relação com os nossos últimos posts, CrossFit é um esporte e não um treino. É um treino cuja única finalidade é o próprio treino. O objetivo acaba nele mesmo e é transferido para qualquer outro esporte. Logo, se o seu objetivo é conquistar uma bunda dura, faça uma plástica: ela lhe trará mais resultados e com menor sofrimento que o CrossFit e isso evita que você me chame de grosso, ogro ou de tantos outros adjetivos que me colocam.

Exemplo simples: vou comprar uma roupa de treino e decido ir na Viv L'eroá (percebem como sou saudosista?) e, para minha surpresa, quando chego lá não tem roupa de treino. Então, o que eu faço? Reclamo com o gerente, pois acho aquilo inadmissível. Primeiro: no auge da minha ignorância e egoísmo, entrei em uma loja desconhecendo totalmente o tipo de produto vendido e achava que lá teria que ter o que eu queria. Segundo: como a culpa é minha e a coloco em quem eu quiser, saio da loja falando que o estabelecimento é uma porcaria, pois não vende roupa de treino.

Você treina no CrossFit McDonald’s e fica à espera do brinde do McLanche Feliz?

Faça uma aula experimental grátis!
Ligue: 11 4586.0121
WhatsApp: 11 97464.9140

map-iconRua Evangelista Mirandola, 2 - Jundiaí - SP map-iconMUVe CrossFit phone-iconTel.: (11) 4586.0121 
     
map-iconAvenida Paula Penteado, 126 - Jundiaí - SP map-iconMUVe Concepts phone-iconCel.: (11) 97464.9140
     
  email-iconcontato@muvecrossfit.com.br  

Facebook MUVe CrossFitInstagram MUVe CrossFitInstagram MUVe CrossFit Kids

© 2016 MUVe CrossFit. Todos os direitos reservados | Desenvolvido por Jolt.